Projeto 59

TODOS OS DIAS NO BRASIL 59 JOVENS NEGROS SÃO ASSASSINADOS TODOS OS DIAS


A primeira vez que ouvi falar sobe o massacre da juventude negra no Brasil foi nas redes sociais em 2014.

 

Jovens paulista ligados aos movimentos de hip hop protestando contra a brutal incidência de jovens negros assassinados no Brasil.

  

Os Protestos tiveram origem no estudo publicado pelo governos brasileiro, O Mapa da Violência: Os jovens do Brasil, 2014, do qual reproduzo o texto abaixo:

 

“... os homicídios são hoje a principal causa de morte de jovens de 15 a 29 anos no Brasil, e atingem especialmente jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias e áreas metropolitanas dos centros urbanos. Dados do Ministério da Saúde mostram que mais da metade dos 56.337 mortos por homicídios, em 2012, no Brasil, eram jovens (30.072, equivalente a 53,37%) dos quais 77,0% negros (pretos e pardos) e 93,30% do sexo masculino”.

 

Para se alcançar esse número é preciso que 59 jovens negros sejam assassinados todos os dias.

  

Penso nesses dados e imagino que para uma sociedade que não está (declaradamente) em guerra, conviver diariamente com uma estatística tão horrível como esta, alguma atitude teve que ser tomada.

  

A alternativa escolhida foi a mais simples e eficiente: ignorá-la.

  

Não ignoramos somente a estatística ruim, isso só não basta. É preciso ignorar as pessoas mesmo. Torná-las invisíveis.

  

Quem conhece o Brasil, sobretudo suas favelas e as periferias das grandes cidades sabe com que eficiência construímos uma sociedade onde essa imensa maioria da população não é levada em conta, só contida.

 

Por mais de três anos percorri estreitas passagens que serpenteiam por entre as centenas de milhares de barracos e das favelas brasileiras. Visitei casas sem janelas ou com janelas voltadas para o “valão” ou para o lixão. Lugares onde muitas vezes o tráfico de drogas exibe diuturnamente seu armamento pesado e a polícia tem regras próprias nunca vistas nos bairros de classe média, iguais ao que moro em São Paulo.

 

Ao visitar as casas onde moram os “invisíveis” me surpreendi ao enxerga-los em cores humanamente verdadeiras.

 

São lugares onde a vida é difícil e a morte, fácil.

 

Edu Simões

 

English
59 project

EVERY DAY IN BRAZIL 59 YOUNG BLACK PEOPLE ARE MURDERED EVERY DAY

 

“Projeto 59” brings together 59 portraits

of young black males in some

of the main capitals of Brazil, taking

as background places where they

live or attend to, mainly on suburban

areas. The number makes reference

to the statistics raised by the Map of

Violence 2014, which indicated that

56,337 people were killed in Brazil in

2012, among them 23,151 were young

black people between 15 and 29

years, 93% of these kids being male.

That is to say, on average, 59 young

black males were murdered every

day during that period. The intention

of Simões’s project is to counteract

images of healthy, hopeful young

people with the idea that today they

could be dead if they had the same

fate as those young poor kids pointed

out by statistics.

Português